Governo promove 2ª edição do Programa Formando e Cozinhando no IEMA Gastronomia

– Aula Inaugural do Formando e Cozinhando realizada nesta terça-feira (4) no IEMA Gastronomia (Foto: Divulgação)

Nesta terça-feira (04), o Governo do Estado deu início, no IEMA Gastronomia, às aulas do Curso Formando e Cozinhando 2022, que está na 2ª edição. A primeira foi realizada em 2021, quando foram formadas 25 pessoas. O programa é coordenado pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedes) e conta com as parcerias das Secretaria de Estado da Educação (Seduc) e de Direitos Humanos e Participação Popular (Sedihpop). As aulas são realizadas às segundas e terças-feiras das 8 às 12h; e das 14 às 18h, com carga horária semanal de 40 horas.

Este ano, serão formadas 2 turmas, com 30 alunos cada e 5 vagas por turma são exclusivas para o público LGBTQIA+. Nesse ciclo do curso, são 12 chefes de cozinha, incluindo a participação de chefes de cozinha de povos indígenas (Guajajara), e do Quilombo de Alcântara, além de outros chefes de renome internacional, que irão ministrar aulas em diferentes módulos.

“A ação do governo fortalece a rede de educação profissional e a cultura local, com a gastronomia, que é riqueza extraordinária do Maranhão. É extremamente importante dar visibilidade para essa riqueza e ao mesmo tempo fortalecer a diversidade cultural, a pluralidade de pessoas e favorecer a inclusão daqueles que muitas vezes não são vistos. Reservar vagas para a população LGBTQIA+ é relevante para integrar todas as pessoas ao processo de desenvolvimento do Estado do Maranhão”, destacou a secretária de Estado da Educação, Leuzinete Pereira da Silva.

Além da secretária Leuzinete Pereira da Silva, participaram da Aula Inaugural do Formando e Cozinhando 2022 o secretário de Estado de Desenvolvimento Social, Paulo Casé Fernandes; o ex-governador Flávio Dino; a senadora Eliziane Gama, dentre outros. 

Wener Júnior é ator e um dos participantes do grupo LGBTQIA +, que aproveitou a oportunidade para se qualificar. “Eu acredito que no Maranhão nunca tivemos um projeto desse voltado para à comunidade LGBTQIA+, e nós precisamos dessas oportunidades. Têm pessoas que moram na periferia e muitas vezes não têm emprego. O curso vem para dar chance para essas pessoas, e até mesmo para que elas possam se descobrir na área da culinária e terem uma renda para se sustentar e sustentar sua família também. O meu objetivo é ganhar experiência e quem sabe, futuramente, trabalhar nesse ramo também”, expressou Júnior.    

Oportunidades de emprego e renda

Desde dezembro de 2021, o projeto foi inserido nas ações do Mais IDH e, assim, passa a ser política social de Estado. O projeto visa qualificar habilidades, gerar oportunidades de emprego e renda, e formar multiplicadores sociais de ações educativas na área alimentar.

“O projeto propõe qualificar os profissionais de cozinha de baixa renda, prepará-los para o mercado de trabalho, tanto para estarem nos espaços gastronômicos do nosso estado, como também para se tornarem empreendedores e autônomos de produtos de cozinha. Durante o curso, os alunos irão receber toda a fundamentação teórica, para a construção individual de seu plano de negócios e para se tornarem agentes transformadores sociais do seu próprio território”, ressaltou a secretária adjunta da Sedes e coordenadora do Projeto Formando e Cozinhando, Ana Gabriela Borges. 

A secretária da Sedihpop, Amanda Cristina de Aquino Costa, destacou a importância do programa para a população do Maranhão. “É extremamente importante o fato desse programa entrar na agenda do governo, como programa permanente, que compõe o Plano Mais IDH, garantindo permanência, perenidade e a possibilidade de que muitas outras pessoas sejam alcançadas pelo programa, inclusive aquelas que são socialmente vulneráveis, por suas condições sociais, de gênero e orientação sexual, para que possam, a partir desse processo de capacitação, garantir seus direitos humanos e fortalecer a sua cidadania”, enfatizou.

Wagner Velasco, chef paraense, é fruto de um projeto semelhante ao Formando e Cozinhando, criado pelo governo paraense. Ele falou sobre a importância de criar oportunidades de qualificação profissional para todas as pessoas. 

“Esses projetos são muito bons. Eu era menor de idade quando comecei em um projeto em que o Governo do Estado do Pará tirava o menor da rua para estudar e ter uma profissão. Esse projeto me deu o rumo da gastronomia e hoje estou aqui na 2ª edição do Projeto Formando e Cozinhando, como professor, e isso é a verificação que esses projetos são extensão de conhecimento para as pessoas. Eu não tenho palavras para descrever a importância desse projeto, mas vou resumir assim: a qualificação dos jovens de hoje é primordial”, descreveu.

Fonte: Agência de notícias